Movimento Bem Maior

Metodologia

A mudança sistêmica é um conceito sobre o realinhamento de relações, funções, incentivos e motivações implícitas a um equilíbrio mais eficiente sob a ótica social, de modo que os impactos gerados sejam melhorias notáveis e permanentes na qualidade de vida de milhões de pessoas.

A teoria de impacto sistêmico adotada pelo Movimento Bem Maior baseia-se em experiências e evidências e evolui à medida que continuamos a aprender com nossos parceiros e práticas. Assim, nossa abordagem envolve as seguintes práticas:

  1. Investir em ideias de alto impacto sistêmico que

    Atuem em demandas claramente identificadas e delimitadas.
    Sejam simples, fáceis de entender e de compartilhar.
    Sejam validadas por evidências cientificas.

  2. Identificar pontos chave

    Identificamos uma parte do sistema que seja essencial para o funcionamento saudável do todo e o trabalhamos para poder exercer efeitos de alavancagem em outras partes do sistema.

  3. Identificar uma liderança forte

    Buscamos parceiros que estejam transformando ideias e oportunidades em ações e ancoramos as organizações/lideranças com histórico sólido, alta capacidade de articulação e credibilidade local.

  4. Trazer o aprendizado e a adaptação para o centro

    Incentivamos o aprendizado contínuo em nós e em nossos parceiros, o diálogo com o público e o uso de dados para aprender, corrigir o curso e adaptar-nos para obter melhores resultados.

  5. Valorizar um contexto favorável

    Auxiliamos nossos parceiros a avaliarem se a governança e o contexto socioeconômico são favoráveis ao impacto sistêmico pretendido; é importante que os planos sejam executáveis, mesmo em contextos de maior instabilidade.

  6. Dialogar com os principais atores

    Investimos em coalizões e redes com lideranças comprometidas, trabalhando em prol de um objetivo compartilhado. Nós dialogamos com o governo para influenciar políticas públicas e ajudá-las a serem mais eficazes.

  7. Permitir que as ideias se desenvolvam, se espalhem e evoluam

    Investimos na curadoria e no compartilhamento de experiências de êxito comprovado para que elas possam alçar voo, encontrando lideranças que as adaptem ao seu contexto, dessa forma ganhando autonomia e escalabilidade.

Contexto

Quase um terço de todas as riquezas do Brasil estão concentradas nas mãos dos que integram o 1% mais rico. É a segunda maior concentração de renda do mundo, ficando atrás apenas do Qatar (Fonte: ONU).


Ao mesmo tempo, o Brasil tem 13,5 milhões de pessoas, o equivalente a 6,5% de sua população, vivendo em situação de extrema pobreza, isto é, com menos de R$ 145 mensais. (Fonte: IBGE)


Volume de Doações

(Fonte: Giving Report 2019/Charities Aid Foundation.)


Motivações para…

Realizar doações

  • Dentre o um quinto dos respondentes que declarou não ter feito nenhuma prática de solidariedade, falta de confiança nas instituições foi o principal fator (apontado por 60% destes respondentes).
  • Os principais fatores que poderiam tornar essas pessoas doadoras foram “conhecer/passar a confiar”, “visualizar o trabalho realizado” e “alinhamento com valores pessoais”.

Não realizar

  • As principais motivações apontadas para a doação foram “confiança na organização ou pessoa”, “retribuição ao que recebeu” e “satisfação”, todas com 60% ou mais de menções.
  • A comparação entre a percepção dos motivos que levam a pessoa a doar vis-à-vis os motivos que levam as demais pessoas de seu meio social ou profissional a doar sugere que os doadores de alta renda tendem a se ver como mais racionais e altruístas que seus pares (mais influenciados por fatores externos, como religião, e mais egoístas).

(Fonte: Pesquisa Comportamental Sobre Doadores de Alta Renda – Conectas/FGV-EAESP)


A respeito do tema doação…

Poucas as pessoas de alta renda relatam ter a atividade de doação como objeto de reflexão e/ou discussão cotidiana – apenas 22%. A maioria (55%) declarou ser raro tal tipo de reflexão e/ou conversa (fonte: Pesquisa Comportamental Sobre Doadores de Alta Renda – Conectas/FGV-EAESP).


Os fatores que mais incentivariam a doação ao longo do próximo ano, além de ter mais dinheiro (52%), seriam “saber com certeza como o dinheiro é gasto” (43%) e “mais transparência no Terceiro Setor/organizações sociais” (36%). (Fonte: Brasil Giving Report 2020).


Causas mais populares

(Fonte: Brasil Giving Report 2020).


Valor médio doado por ano: R$ 617


8 a cada 10 brasileiros acreditam que organizações sociais têm um impacto positivo na sociedade.


86% da população concordam que empresas brasileiras devem apoiar as comunidades locais, e 83% acham que empresas internacionais devem apoiar as comunidades onde atuam.

Transparência

O Movimento Bem Maior é uma organização sem fins lucrativos ou econômicos, político-partidários ou religiosos, que tem como objetivo promover o investimento social, a cultura da doação e a filantropia, visando assegurar os direitos humanos e sociais de pessoas em situação de vulnerabilidade; promover a educação, a saúde, a cultura, o esporte, a proteção ao meio ambiente; promover e estimular a cidadania e prevenir a violência, fortalecendo a cultura de paz.

Para atingir seus objetivos, o MBM poderá elaborar projetos; doar recursos físicos, humanos ou financeiros; coordenar, executar e apoiar programas; fomentar e financiar iniciativas de impacto social; produzir, gerenciar e disseminar informações sobre filantropia e apoiar a atuação de movimentos sociais e organizações da sociedade civil.

Nosso modelo de governança está fundamentado nos princípios de transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade econômica e social. Acesse nossos relatórios:

Relatorio de Atividades 2019