Movimento Bem Maior

21 dez 2021

Leilões de objetos virtuais revertem doações para organizações da sociedade civil

Imprensa

Tecnologias como NFT e bitcoins ajudam a captar recursos de forma inovadora

Com a evolução da tecnologia, as organizações da sociedade civil ganham novos caminhos para arrecadar contribuições de maneiras diferentes e inovadoras. Um exemplo é a ideia de criar um vestido digital, que não existe fisicamente, para a top model brasileira Valentina Sampaio usar e depois leiloá-lo como forma de angariar recursos durante uma campanha de combate à violência contra a comunidade LGBTQIA+.

A roupa feita para Valentina — que é uma estrela do mundo fashion, sendo a primeira mulher trans a ser capa da revista Vogue Paris — é apenas uma peça virtual. Um artista projetou, em cima do corpo da brasileira, a imagem de um vestido branco no qual um líquido avermelhado, como se fosse um sangue, escorre sobre o tecido. Essa obra foi vendida em formato de NFT (sigla em inglês para token não fungível), que é um certificado de propriedade de um produto digital, com a garantia de originalidade e exclusividade.

O ‘vestido’ da brasileira foi leiloado por US$ 300 mil em setembro deste ano. O valor representou na ocasião o maior valor negociado em um NFT ligado à moda, e o lucro foi doado para organizações ligadas à causa LGBTQIA+.

A criatividade e a importância histórica podem fazer a diferença para o sucesso de iniciativas assim porque, por meio do NFT, é possível comprar o certificado digital de qualquer coisa.

Outro exemplo é o primeiro tuíte de um dos fundadores do Twitter Jack Dorsey que foi vendido dessa forma. O valor atingido correspondeu a mais de US$ 2,9 milhões. A parte do ganho de Dorsey nessa ação foi convertida para a moeda digital bitcoin e destinada à organização Give Direclty, que envia dinheiro para famílias pobres na África e nos Estados Unidos.

Aliás, é preciso sempre lembrar que doações em criptomoedas são realizadas sob o risco de o valor doado desvalorizar ou valorizar, de acordo com as variações diárias. No entanto, muitas grandes organizações internacionais veem nessas transferências uma forma simplificada de receber recursos vindos de países diferentes.

A Cruz Vermelha dos Estados Unidos passou a aceitar doações em bitcoins em 2014, e o Unicef lançou em 2019 o CryptoFund, que permite receber, manter e gastar criptomoedas. O Fundo das Nações Unidas para a Infância destaca que, por meio dessa iniciativa, é possível contar com a transparência das transações de blockchain (o sistema que permite registrar e rastrear as informações) e com o baixo custo de enviar valores.

Muitas coisas que a pouco tempo atrás eram inimagináveis, como nos casos da Valentina e de Dorsey,  hoje facilitam a filantropia em diferentes formas, com as organizações vendo novos meios para gerar engajamento, com importantes causas ecoando muito mais longe e com o incentivo à realização de parcerias entre diferentes classes e setores da sociedade.

A cultura da doação tem um forte impulso a ganhar com a combinação de ferramentas tecnológicas em mãos, diferentes ideias em mente e desejo no coração de tornar o mundo melhor.

Carola Matarazzo – Diretora executiva do Movimento Bem Maior

Este artigo foi originalmente publicado no site do Observatório do Terceiro Setor.

Download Best WordPress Themes Free Download
Free Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
Download WordPress Themes
free online course
download samsung firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
free online course

Insira seu e-mail para assinar nossa newsletter

Email Marketing by E-goi
Premium WordPress Themes Download
Free Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Premium WordPress Themes Download
udemy course download free
download micromax firmware
Download WordPress Themes Free
download udemy paid course for free